quarta-feira, 29 de maio de 2024

Lula retira embaixador do Brasil em Israel

 




O presidente Luiz Inácio Lula da Silva removeu de Israel o embaixador Frederico Meyer, que ocupava o principal posto da representação brasileira em Tel Aviv. Meyer foi transferido para o cargo de representante do Brasil na Conferência do Desarmamento, em Genebra, órgão da Organização das Nações Unidas (ONU).



A nomeação de Meyer para a missão permanente do Brasil na ONU foi publicada no Diário Oficial desta quarta-feira (29). Ninguém foi indicado para ocupar a embaixada em Tel Aviv.


A não substituição de um nome para o lugar de Meyer no posto em Israel foi considerado um gesto político por especialistas em relações internacionais. O pesquisador do Observatório de Política Externa Brasileira (OPEB) da Universidade Federal do ABC, Bruno Fabricio Alcebino da Silva, avalia que o ato de remover o embaixador de Israel é “claramente político” por reduzir a importância da representação do Brasil no país.



“Isso envia uma mensagem contundente sobre o nível de prioridade que o governo Lula atribui ao relacionamento com o governo israelense atual. Embora não rompa completamente os laços diplomáticos, esta medida destaca a insatisfação do Brasil com as políticas de Israel”, comentou.


O especialista acrescentou que a medida não pode ser interpretada com simples decisão administrativa. “A substituição do embaixador por um encarregado de Negócios é um sinal diplomático de descontentamento e reprovação, refletindo uma estratégia deliberada para marcar posição no cenário internacional”, completou Bruno Alcebino da Silva.


O Ministério das Relações Exteriores ainda não se manifestou sobre o tema, mas, no Palácio do Planalto, a avaliação é de que o gesto foi político.  



O presidente Lula vem criticando as ações de Israel na Faixa de Gaza, que considera um genocídio contra o povo palestino. No último sábado (25), Lula voltou a criticar o governo do primeiro-ministro Benjamim Netanyahu.


“Queria pedir a solidariedade às mulheres e crianças que estão morrendo na Palestina pela irresponsabilidade do governo de Israel. A gente não pode se calar diante de aberrações”, disse em um evento, em Guarulhos (SP). Nessa segunda-feira (29), o Itamaraty afirmou que as ações de Israel em Gaza violam sistematicamente os direitos humanos.


Na última semana, o promotor do Tribunal Penal Internacional (TPI) pediu a prisão de Netanyahu por crimes de guerra, incluindo o uso da fome como arma de guerra. O governo israelense nega todas as acusações e diz que tem tomado ações para proteger os civis.


Em fevereiro deste ano, o embaixador Frederico Meyer chegou a ser convocado de volta ao Brasil após episódio considerado pela diplomacia brasileira como uma humilhação. O governo de Israel chamou Meyer para uma reprimenda pelo fato do presidente Lula ter comparado a ação militar em Gaza à de Hitler na 2ª Guerra Mundial. Meyer foi chamado para um evento no Museu do Holocausto, em Israel, onde ouviu discursos em hebraico, língua que não domina.



A atual fase do conflito no Oriente Médio, iniciada após o ataque do Hamas que causou 1,2 mil mortes em 7 de outubro de 2023, já tirou a vida de mais de 35 mil palestinos, a maioria mulheres e crianças. 


Países europeus

O Ministério das Relações Exteriores (MRE) divulgou hoje nota saudando Espanha, Irlanda e Noruega por reconhecerem nessa terça-feira (28), oficialmente, o Estado da Palestina, somando-se a mais de 140 países que já reconhecem o direito do povo palestino a um Estado. O Brasil fez esse reconhecimento em 2010. 


“O crescente número de países que reconhecem o Estado da Palestina constitui notável avanço histórico que contribui para responder aos anseios de paz, liberdade e autodeterminação daquele povo”, disse o Itamaraty.


O MRE ainda pediu que todos os demais países reconheçam a Palestina como Estado. “O Brasil reafirma a defesa da solução de dois Estados, com um Estado da Palestina independente e viável convivendo lado a lado com Israel, em paz e segurança, dentro das fronteiras de 1967, o que inclui a Faixa de Gaza e a Cisjordânia, tendo Jerusalém Oriental como sua capital”, completou.


Agência Brasil

Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto

 

                                              Foto: Paulo Pinto


O prazo para adesão ao Desenrola Fies, que permite a renegociação de dívidas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), foi estendido por três meses até o dia 31 de agosto. O período para que estudantes tivessem condições especiais para quitar ou estender o prazo de parcelamento das dívidas terminaria nesta sexta-feira (31).


Em nota, o Comitê Gestor do Fies informou, em Brasília, nesta quarta-feira (29), que a baixa adesão e a situação de calamidade pública no Rio Grande do Sul definiram a dilatação do prazo.


De acordo com o colegiado, apenas 22,8% das estimativas de adesão foram efetivadas. No estado impactado pelo extremo climático, com muitas chuvas, as adesões esperadas chegaram a 26,8%. “Pedidos de prorrogação foram apresentados por estudantes que perderam seus documentos e bens devido ao alagamento de suas casas”, informou o comitê.


Mudança de prazo

A resolução com a mudança do prazo foi publicada nesta quarta-feira (29), no Diário Oficial da União. As regras para a negociação permanecem as mesmas. O contrato de financiamento precisa ter sido celebrado até o ano de 2017 com débito ainda vigente em 30 de junho de 2023.


Criado em 2001, o Fies tem como meta viabilizar a permanência e conclusão de estudantes de baixa renda familiar no ensino superior, por meio do financiamento dos cursos de graduação em instituições privadas. Desde 2018, o Fies possibilita juros zero aos estudantes com menor renda familiar e uma escala de financiamento para estudantes de famílias de até três salários mínimos.


Para se inscrever, é necessário ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir da edição de 2010, com média de notas nas provas igual ou superior a 450 pontos, além de não ter zerado a redação.



Agência Brasil

Crédito para energia renovável é chave para sustentabilidade

 

                                           Foto: Pixabay


A transição para energia renovável é uma prioridade ambiental e uma oportunidade financeira estratégica para empresas, com várias opções de financiamento disponíveis. No Brasil, o mercado de capitais oferece crédito subsidiado através de instituições como o BNDES e a Caixa Econômica Federal, embora o volume ainda seja limitado. Rodrigo Negrini, da Soul Capital, ressalta as vantagens do financiamento de projetos de energia renovável e auxilia empresas a otimizar recursos e encontrar as melhores soluções para seus projetos.

“Além de reduzir significativamente os custos com energia elétrica, existe a possibilidade de vender o excedente de energia produzida, gerando uma nova fonte de receita para a empresa”, revela. 


Apesar das inúmeras vantagens, o financiamento de energia renovável ainda enfrenta desafios. “Há uma necessidade de maior conscientização sobre as opções de crédito disponíveis e de ajustes regulatórios para facilitar o acesso a esses recursos. No entanto, a crescente demanda por energia sustentável, estimula a criação de fundos privados para financiamento de projetos renováveis, apontando para um cenário promissor”, pontua.


Investir em energia renovável, segundo Negrini, não só promove a sustentabilidade, mas também melhora a imagem das empresas diante de consumidores cada vez mais conscientes. Ele destaca que essa prática pode abrir novas oportunidades de negócios e parcerias, reforçando a competitividade da marca. 


O especialista enfatiza que o crédito para energia renovável é uma solução financeiramente vantajosa, permitindo a redução de custos operacionais e a geração de novas receitas.  “Com o apoio de instituições financeiras e políticas públicas favoráveis, a transição para uma matriz energética mais limpa e sustentável se torna cada vez mais acessível e viável, beneficiando o meio ambiente e a economia das companhias”, finaliza.



Etapa do Festival de Praia 2024 acontece em Bela Vista neste final de semana

 

                                              Divulgação


Neste sábado (1) e domingo (2) o município de Bela Vista recebe mais uma etapa do Festival de Praia 2024. A participação no evento é gratuita e as inscrições para as atividades podem ser feitas no local. As competições de Futevôlei Iniciante e Open Estadual, assim como as de Beach Tennis e Vôlei Estadual, serão abertas ao público.



O evento é uma realização da Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul), ligada à Setesc (Secretaria de Estado de Turismo, Esporte e Cultura), em parceria com a Prefeitura Municipal de Bela Vista, Federação de Beach Tennis, Federação de Vôlei e Federação de Futevôlei. 


O projeto pretende dar visibilidade aos esportes de areia, além de proporcionar à população local momentos de diversão, lazer e bem-estar por meio da atividade física. Com atividades recreativas específicas para as crianças, como brinquedos infláveis (tobogã e chute a gol), oficina de pintura facial, desenhos e jogos de mesa.



Para o diretor-presidente da Fundesporte, Paulo Ricardo Nuñez, o festival de praia é um projeto muito importante da Fundesporte que visa dar a devida atenção aos esportes de areia.


“O Festival de Praia é uma celebração dos esportes de areia, e também uma oportunidade para promover a saúde e o bem-estar através da atividade física. Esse contato com a natureza, esportes ao ar livre são muito importantes para a melhoria da qualidade de vida”, destaca o titular da Fundesporte.


O secretário de Estado de Turismo, Esporte e Cultura, Marcelo Ferreira Miranda, também comentou sobre a importância do evento. "Além de incentivar a prática esportiva e o bem-estar, o Festival de Praia é fundamental para o turismo local, movimentando a economia e fortalecendo o vínculo da comunidade com a cultura esportiva regional". 


No sábado (1º), a programação acontece das 8h às 17h. Já no domingo (2), será das 8h às 12h, na Prainha de Bela Vista. A próxima etapa está prevista para acontecer em Sonora.

Ordem do Dia: Cinco projetos são aprovados pelos deputados estaduais

 

                                           Foto: Wagner Guimarães


Cinco proposições foram apreciadas pelos parlamentares da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), na Ordem do Dia desta quarta-feira (29). Das proposições, duas são de autoria parlamentar e tratam sobre saúde mental e ações para enfrentar conflitos no ambiente escolar.   


Redação final


Projeto de Lei Complementar 2 de 2024, do Poder Executivo, estabelece plano de assistência médico-social aos delegados ativos e aposentados, e a seus respectivos pensionistas.


Segunda votação


De autoria da deputada Mara Caseiro (PSDB), o Projeto de Lei 361 de 2023 institui o “Janeiro Branco”, dedicado à realização de ações educativas para difusão da saúde mental.


Primeira votação


Projeto de Lei 96 de 2024, do Executivo, tem por finalidade possibilitar a transformação, sem aumento de despesas, das Funções de Confiança Executivas (FCE), por atração de símbolo, denominação, desmembramento ou fusão, visando a atender às necessidades da Administração Pública Estadual.


Do deputado Roberto Hashioka (União), o Projeto de Lei 207 de 2023 institui a Política de Resolução de Conflitos nas escolas estaduais. Entre outros objetivos, a proposta visa à solução pacífica e harmoniosa das contendas provenientes das relações interpessoais entre os atores envolvidos direta ou indiretamente nos processos educacionais.


Projeto de Lei 97 de 2024, do Executivo, estabelece as condições gerais dos contratos, dos termos aditivos ou dos instrumentos similares firmados pelos beneficiários de imóveis originários ou incorporados por sucessão legal à Agência de Habitação Popular do Estado de Mato Grosso do Sul (Agehab-MS) e daqueles que tenham como objeto o retorno de investimento estadual dos empreendimentos realizados em parceria, para a aquisição do lote e/ou da unidade habitacional.

Edição do Arraial de Santo Antônio de Campo Grande promete encantar com tradição e alegria

 

                                              Foto: Divulgação


A 22ª edição do Arraial de Santo Antônio, uma das mais tradicionais festas juninas da capital sul-mato-grossense, está chegando! O evento, organizado pela Prefeitura de Campo Grande, por intermédio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur) e o Fundo de Apoio à Comunidade (FAC), ocorrerá entre os dias 12 a 16 de junho, na Praça do Rádio Clube.


A festa, que já se tornou um marco cultural no calendário da cidade, reúne famílias, amigos e turistas para celebrar as tradições juninas com animação. Este ano, a programação inclui uma variedade de apresentações musicais com artistas renomados, barracas de comidas e bebidas tradicionais, além de espaço kids.


O evento também contará com uma área destinada à venda de artesanatos, onde os visitantes poderão adquirir produtos confeccionados por artesãos locais, promovendo a economia solidária e a valorização da cultura regional.


Na primeira noite, a música fica por conta do Grupo Tradição às 19h. Ainda no dia 12 de junho, a dupla sertaneja Munhoz e Mariano se apresenta às 21h.


Na quinta-feira (13), dia de Santo Antônio, haverá procissão dos fiéis do padroeiro de Campo Grande com saída prevista às 18h da Catedral Santo Antônio em direção até a Praça do Rádio Clube. Às 19h será celebrada a Santa Missa no local. Os shows da noite ficam por conta da Fraternidade São João Paulo II às 20h, e na sequência, a dupla sertaneja João Haroldo e Betinho às 21h30.


Na sexta-feira (14), a animação fica por conta da dupla Pedro e Evandro às 19h, Tostão e Guarani às 20h e Trio Violada às 21h. No dia 15, às 19h, Max Henrique agita a penúltima noite de festa no Arraial às 19h, e às 21h, a dupla Victor Gregório e Marco Aurélio se apresenta às 21h. O encerramento dos shows, no domingo (16), fica por conta do grupo de forró Ipê da Serra às 18h, seguido da dupla sertaneja Alex e Ivan, que se apresenta às 20h.


A prefeita Adriane Lopes(PP) destaca a importância do evento. “O evento é tradicional e esperado pelos campo-grandenses. A iniciativa e a organização é muito importante para a Capital, pois o Arraial movimenta a economia local, proporciona momentos de lazer e cultura e reúne as famílias”.


O Arraial de Santo Antônio de Campo Grande é aguardado com ansiedade por muitas Organizações Sociais sem fins lucrativos que veem neste período uma oportunidade de levantar renda com a venda de produtos durante todos os dias de evento. As barracas que serão montadas na festa terão autorização para a comercialização de alimentos, bebidas e artesanatos nos cinco dias de festa.


Para a coordenadora-geral do Fundo de Apoio à Comunidade (FAC), Adir Diniz, além de aproveitar as delícias da culinária típica de festa junina, quem frequentar o 22º Arraial de Santo Antônio vai contribuir com diversas causas sociais. “As instituições foram escolhidas por meio de sorteio, conforme previsto no edital e esperamos que as vendas de seus produtos sejam um sucesso para que mais recursos sejam angariados para que seus atendimentos sejam ampliados à comunidade”, relatou.


De acordo com a secretária municipal de Cultura e Turismo, Mara Bethânia Gurgel, é estimado que por dia, pelo menos 8 mil pessoas passem pela festa. “Não faltará diversão para as famílias campo-grandenses, teremos uma grade especial de shows nacionais e regionais, comidas típicas e brinquedos. A partir do dia 13 de junho, os fiéis podem comprar o tradicional bolo do Santo Casamenteiro das 6h até às 13h na Catedral Santo Antônio e a partir das 18h, no próprio Arraial’, salientou.


Serviço:


Evento: 22ª Edição do Arraial de Santo Antônio

Data: 12 a 16 de junho

Local: Praça do Rádio Clube

Horário: A partir das 18h

Entrada: Gratuita

Produtores esperam dobrar vendas em relação à última edição da Festa do Queijo

                                             Foto: Divulgação



 Começa a 7ª edição da Festa do Queijo do Distrito de Rochedinho. O evento será no sábado, 8 de junho, em frente à Escola Agrícola Barão do Rio Branco, localizada na Rua Guia Lopes, 340. Estima-se que mais 8 mil pessoas passem pelo local este ano.


O produtor rural José Alceu Cabral, da Queijos Dazu, conta que vai aumentar a produção. “No ano passado levamos por volta de 400 quilos de queijo, para esse ano estamos prontos para levar 650 quilos”, revela, pontuando que em 2023 ele vendeu toda a produção. “Tivemos a alegria de receber muitas pessoas que foram conhecer o nosso queijo, pois viram muitas reportagens sobre nosso trabalho. Estamos quase que dobrando a produção em relação aos anos anteriores e prevemos um grande aumento de vendas”, diz.


Para ele, a festa está cada ano melhor. “Tem melhorado a cada ano, tanto na organização que é impecável ao comando do Sidagro, quanto na escolha dos conjuntos musicais. Vocês são incríveis, a equipe se desdobra para atender a todos os expositores e o público em geral, além de prever a cada ano a expansão da festa.


A festa contará com a participação de mais de 50 empreendedores e produtores da região, que tem na iniciativa a oportunidade de gerar renda e levar para a população o que é produzido pelo pequeno produtor. Além dos quitutes das barraquinhas de queijos e derivados do leite, haverá uma praça de alimentação com as mais diversas guloseimas que vão do cachorro-quente ao churrasco de chão. Também haverá food truck com pratos variados e bebidas, como churros, acarajé, drinks e o delicioso chopp pilsen.


A diversão também está garantida. Para as crianças haverá um espaço com brinquedos infláveis e pula-pula. Já para os adultos, a dupla sertaneja Gilson e Júnior e o Grupo Alma Serrana, vão garantir a festa. A 7ª edição da Festa do Queijo do Distrito de Rochedinho é organizada pelas Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio (Sidagro), Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur) e pela Subprefeitura de Rochedinho.